terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Palavra de Vida – Fevereiro de 2012

 “Convertei-vos e crede no Evangelho.” (Mc 1,15)

É assim que começa, no Evangelho de Marcos, o anúncio de Jesus ao mundo, a sua mensagem de salvação: “Cumpriu-se o tempo e o Reino de Deus se aproxima. Convertei-vos e crede no Evangelho”.
Com a vinda de Jesus inicia uma era nova, o tempo da graça e da salvação. Suas primeiras palavras são um convite a abraçar a grande novidade, a própria realidade do Reino de Deus, que Ele coloca ao alcance de todos, perto de cada homem.
Jesus indica imediatamente o caminho: converter-se e crer no Evangelho, isto é, mudar radicalmente de vida e aceitar, em Jesus, a palavra que Deus dirige por meio Dele à humanidade de todos os tempos.
São duas coisas que caminham lado a lado: a conversão e a fé. Uma não existe sem a outra. Ambas nascem pelo contato com a Palavra viva, pela presença de Jesus, que também hoje repete às multidões:

“Convertei-vos e crede no Evangelho.”

A Palavra de Deus acolhida e vivida realiza uma completa mudança de mentalidade (= conversão). Coloca no coração de todos – europeus, asiáticos, australianos, americanos, africanos – os sentimentos de Cristo diante das circunstâncias, das pessoas e da sociedade.
Mas de que modo o Evangelho pode realizar o milagre de uma profunda conversão, de uma fé nova e luminosa? O segredo está no mistério que as Palavras de Jesus encerram. Elas não são simplesmente exortações, sugestões, indicações, diretrizes, ordens ou comandos. Na Palavra de Jesus está presente o próprio Jesus a falar, a nos falar. As suas Palavras são Ele mesmo, são o próprio Jesus.
É por isso que nós o encontramos na Palavra. E acolhendo a Palavra no nosso coração, como Ele quer que seja acolhida (ou seja, estando dispostos a traduzi-la em vida), tornamo-nos uma só coisa com Ele, e Ele nasce ou cresce em nós. É esse o motivo pelo qual cada um de nós pode e deve acolher esse convite tão urgente e tão exigente de Jesus.

“Convertei-vos e crede no Evangelho.”

Pode ser que alguém ache as palavras do Evangelho muito elevadas e difíceis, muito distantes do modo comum de viver e de pensar, e se sinta tentado a não escutá-las, a desanimar. Mas isso acontece quando se pensa que se deve remover sozinho a montanha da própria incredulidade. Ao passo que bastaria esforçar-se em viver ainda que fosse uma única Palavra do Evangelho, para encontrar nela uma ajuda inesperada, uma força sem igual, uma lâmpada para guiar os próprios passos (cf. Sl 118,105); porque a comunhão com aquela Palavra – sendo essa uma presença de Deus – liberta, purifica, converte, conforta, comunica alegria, doa sabedoria.

“Convertei-vos e crede no Evangelho.”

Quantas vezes durante o dia essa Palavra pode ser uma luz para nós! Toda vez que deparamos com a nossa fraqueza ou com a fraqueza dos outros, cada vez que nos parecer absurdo ou impossível seguir Jesus, quando as dificuldades tentarem nos abater, essa Palavra nos pode fazer alçar voo, pode ser para nós uma rajada de ar fresco, um estímulo a recomeçar.
Bastará uma pequena e rápida “conversão” de rota para sairmos do isolamento do nosso eu e nos abrirmos a Deus, para experimentarmos uma vida diferente, a vida verdadeira.
Depois, se pudermos compartilhar essa experiência com alguma pessoa amiga que também escolheu o Evangelho como seu código de vida, veremos a comunidade cristã brotar ou reflorescer ao nosso redor.
Porque a Palavra de Deus vivida e comunicada realiza também este milagre: dá origem a uma comunidade visível, que se torna fermento e sal da sociedade, testemunhando Cristo em todos os pontos da terra.
Chiara Lubich



Esta Palavra de Vida foi publicada originalmente em fevereiro de 1997. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário