domingo, 10 de julho de 2011

Título de Cidadão Ourinhense é concedido ao Bispo Dom Salvador Paruzzo

Publicado em 09 de julho de 2011 às 12:22





A noite da última quinta-feira, 02, foi marcada por uma grande festa na Câmara Municipal de Ourinhos, quando diversas autoridades, civis e militares, dentre estas a Prefeita Municipal em Exercício, Belkis Gonçalves Fernandes; o Secretário de Administração, André Mello, Vereadores, dentre outras lideranças religiosas da cidade, bem como dos municípios pertencentes a nossa Diocese, compareceram para a solenidade de entrega do título de Cidadão Ourinhense ao Bispo Dom Salvador Paruzzo.

A Prefeita Belkis parabenizou Dom Salvador pela outorga do título e falou sobre ter participado da gestão municipal entre os anos de 1998 e 1999, quando o Bispo assumiu a recém criada Diocese de Ourinhos. “Primeiro cumprimento o Vereador Edvaldo Lúcio Abel, pela autoria do projeto que concede este título ao Bispo Dom Salvador. Essa é uma homenagem justa e merecida, pois a liderança do Bispo não é apenas em Ourinhos, mas em uma região composta por 24 municípios. O mais importante é o reconhecimento do seu trabalho. Esse é um momento marcante, porque quando Dom Salvador tomou posse como o primeiro Bispo da Diocese de Ourinhos, eu estive presente. Na ocasião Toshio era Prefeito e eu Secretária de Assistência Social, assim tive o privilégio de estar presente em sua chegada a nossa cidade e agora nesta merecida homenagem, que torna Dom Salvador cidadão ourinhense”, ressaltou.O Presidente da Câmara Municipal, Vereador Edvaldo Lúcio Abel, Vadinho, em meio a muita emoção, falou sobre a autoria do projeto. “Aprovamos aqui título de cidadão ourinhense para algumas pessoas, como por exemplo, ao nosso Governador Geraldo Alckmin, à atual presidenta da República, Dilma Rousseff, mas com o Bispo Dom Salvador é diferente, é difícil não se emocionar, sentimos aqui a presença de Deus. Posso dizer que a vinda de Dom Salvador para Ourinhos foi uma coisa de Deus, assim, em nome do Poder Legislativo, falo sobre a felicidade de apresentar um projeto para esta Casa de Leis e, em unanimidade, ser aprovado por todos os vereadores, que é a alegria de conceder ao Bispo Dom Salvador Paruzzo, o título de Cidadão Ourinhense. Ourinhos está feliz, por isso peço que Deus continue a iluminá-lo e que Dom Salvador continue mostrando aos ourinheses e a nossa Diocese, o caminho que nos leva a Deus”, desejou.O mais novo cidadão ourinhense, Bispo Dom Salvador Paruzzo, relembrou sua chegada a Ourinhos. “Quando cheguei o Prefeito Toshio Misato me entregou, simbolicamente, as chaves da cidade e assim, como diz o brasão, a cidade de ‘Coração de Ouro’, se tornou a sede da nossa Diocese, o lugar aonde vim morar, portanto a minha cidade. Quando recebi o convite do Santo Padre, João Paulo II, para assumir essa Diocese, aceitei com muito carinho. Falo sobre a fraternidade universal, que nos possibilita a pensar no bem comum de todos os homens, pensar na humanidade inteira em termos políticos. É nessa perspectiva que enfrentamos os desafios que a globalização nos traz hoje e, é a fraternidade que nos realiza plenamente como cidadãos da nossa cidade e do mundo. A cidade e o lugar onde há fraternidade pode ser vivida completamente. Alguns políticos já começaram a realizar experiências concretas, sobre a experiência sobre a colaboração entre administradores e cidadãos, sobre a solidariedade com os mais fracos, sobre as forças produtivas do município. A igreja católica, da qual sou pastor e guia, procura ser fiel a doutrina dos apóstolos e anunciar o evangelho de Jesus Cristo. Que possamos lutar para fazer da nossa cidade de Ourinhos, um lugar de fraternidade, para que o progresso econômico, social e cultural, ajude a criar condições de vida, sempre mais dignas para todos. Obrigado a todos”, destacou Dom Salvador.BOXBiografia do Bispo Dom Salvador ParuzzoDom Salvador Paruzzo nasceu em Montedoro, província de Caltanissetta (Itália), em 15 de outubro de 1945, filho de Alessandro Paruzzo e Luigina Morreale Paruzzo. Seus pais, já falecidos, tiveram cinco filhos: Felicetta, Calogero, Giovanni e Alessandra, sendo Salvador o terceiro filho.A mãe ficou viúva em 1949, depois de oito anos de casamento, e levou em frente a família com coragem e determinação. Dom Salvador realizou os estudos para o sacerdócio no Seminário Episcopal de Caltanisseta. Foi ordenado sacerdote por Dom Francisco Monaco, no dia 29 de junho de 1969. Nos seus 39 anos de vida sacerdotal trabalhou dez anos na Diocese de Caltanissetta, dez na Diocese de Piracicaba e dez anos na Diocese de Osasco.Na Diocese de Caltanissetta foi vigário em 1969, na Paróquia Santa Luzia em Caltanissetta, assistente diocesano dos Juniores da Ação Católica; em 1970 participou da Escola Sacerdotal do Movimento dos Focolares em Grottaferrata (Roma); 1973 foi vigário na Paróquia de Santa Bárbara (Terrapelata) em Caltanissetta; em 74 arcipreste na Paróquia Matriz de Nossa Senhora do Rosário em Montedoro (CL); em 76 arcipreste na Paróquia Matriz de São Ludovico em Mussomeli (CL) e delegado do Movimento “Paróquias Novas’’ para toda a Sicília.Como missionário ‘’Fidei donum’’ foi enviado pelo bispo Dom Alfredo Maria Garcia de Caltanissetta ao bispo de Piracicaba (SP), Dom Aniger Maria de Melillo. Durante os dez anos em que atuou na Diocese de Piracicaba foi vigário na Paróquia de São Pedro (Vila Rezende), em 1979, e com o novo bispo Dom Eduardo Koaik trabalhou como diretor espiritual dos seminaristas de filosofia da diocese, em 1980.Foi animador diocesano da Pastoral Vocacional, delegado do movimento “Paróquias Novas” para os Estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro. Em 1984 foi reitor do Seminário Teológico da Diocese e vigário na Paróquia São José em Santa Bárbara D’Oeste e membro do Conselho dos Presbíteros. Na Diocese de Osasco, com o bispo Dom Francisco Manuel Vieira, atuou como vigário na Paróquia Nossa Senhora das Graças em Vargem Grande Paulista; foi membro do Conselho de Presbíteros, membro da equipe diocesana de formação permanente do clero, assistente na Mariápolis Araceli (agora Gineta), delegado dos sacerdotes responsável pela Escola Sacerdotal, diretor da revista “Perspectivas de Comunhão”, membro da redação da revista “Cidade Nova”.No dia 15 de dezembro de 1998 o Santo Padre o Papa João Paulo II erigiu a nova Diocese de Ourinhos, com o território desmembrado da Arquidiocese de Botucatu e das Dioceses de Assis e Itapeva e nomeou o padre Salvador Paruzzo como primeiro bispo de nova Diocese. No dia 30 de dezembro de 1998 a Santa Sé tornou pública a nomeação e, no dia 19 de março de 1999, Dom Salvador Paruzzo foi ordenado bispo na Mariápolis Araceli pelo Arcebispo Dom Antonio Mucciolo e tomou posse da nova Diocese em 21 de março.

Repórter Renata Tibúrcio, correspondente em Ourinhos

Nenhum comentário:

Postar um comentário